Ir direto para menu de acessibilidade.

Análise do setor de sementes de soja em Santa Catarina

A semente é o insumo básico e vital em qualquer sistema de produção agrícola (PESKE et al., 2019). É ela que contém toda tecnologia resultante de anos de pesquisa, melhoramento genético, seleção e testes de avaliação de cultivares em diferentes ambientes e determina o potencial produtivo de um cultivo. O mercado de sementes de soja movimenta 8,5 bilhões de reais anualmente no Brasil (ABRASEM, 2022). Com destaque ao consumo doméstico, uma vez que o Brasil é o maior produtor de soja do mundo, tendo alcançado na safra de 2021/22 a marca de 120 milhões de toneladas produzidas (CONAB, 2022).

Continue reading “Análise do setor de sementes de soja em Santa Catarina”

Boletim Agropecuário – 02/2023

Ele reúne as informações conjunturais de alguns dos principais produtos agropecuários do estado de Santa Catarina. O objetivo deste documento é apresentar, de forma sucinta, as principais informações conjunturais referentes ao desenvolvimento das safras, da produção e dos mercados para os produtos selecionados. 

 

Publicado: 2023-02-17

Risco, incerteza e lucro de estabelecimentos agropecuários familiares do Sul do Brasil – 2022

O desempenho dos agronegócios familiares está em constante desequilíbrio e, neste contexto, os conceitos de incerteza e risco são fundamentais na busca por resultados pelos agricultores. Esta publicação objetiva examinar essas relações entre risco, incerteza e lucro de estabelecimentos agropecuários, sob amparo da Teoria dos Lucros de Knight. A obra aborda um tema particularmente vital para a sobrevivência dos negócios dos agricultores e pescadores e é destinada aos técnicos da extensão rural e da pesquisa. A discussão abrange a complexidade das tomadas de decisões, em condições de risco e incerteza. Além disso, o trabalho busca fornecer ao leitor informações sobre as evidências da associação entre risco de lucro e determinadas variáveis econômico-financeiras de estabelecimentos agropecuários que, neste contexto, possuem um elemento comum: a produção de tabaco. O exame das relações entre risco, incerteza e lucro é determinante para a tomada de decisão pelos agricultores e com certeza merece ser aprofundado e ampliado em futuros estudos. publicação na integra

Conceitos e métodos aplicados à gestão de empreendimentos rurais e custos de produção nos programas da Epagri – 2021

Este documento tem como objetivo apresentar os conceitos dos principais indicadores econômicos utilizados na gestão de empreendimentos rurais e custos de produção nos programas da Epagri. Pretende-se alinhar conceitos e métodos para aplicação nos diversos instrumentos (planilhas, softwares, aplicativos) utilizados pela pesquisa e extensão rural junto aos agricultores catarinenses. A escolha dos indicadores parte da premissa de que devem ter a capacidade de facilitar/auxiliar na tomada de decisão do agricultor em relação ao planejamento do processo produtivo e comercial de seus empreendimentos, ao mesmo tempo em que retrate, de forma mais realista, o modo de produção predominante nos estabelecimentos agropecuários em SC. Em tese, os resultados dos empreendimentos agrícolas podem ser apurados em decorrência das condições efetivamente ocorridas no estabelecimento agropecuário ou, ainda, em decorrência de condições esperadas. Nesta situação, de custos estimados, estes são geralmente concebidos a partir do uso de coeficientes técnicos relacionados a insumos, a máquinas e a mão de obra. Este documento trata especificamente da apuração dos custos de produção e da gestão de empreendimentos em condições efetivamente ocorridas no estabelecimento agropecuário ao longo do ciclo produtivo. Preconiza-se, assim, retratar com mais propriedade as práticas e o contexto de produção dos agricultores catarinenses. publicação na integra

Perdas provocadas por tempestades em algumas regiões do estado de Santa Catarina: 14 e 15 de agosto de 2020

Nos dias 14 e 15 de agosto de 2020 ocorreu, novamente, um evento climático extremo, com formação de tornado, em Santa Catarina. As fortes rajadas de ventos e tempestades atingiram praticamente todo o Estado. Esta forte instabilidade foi causada por um cavado (área alongada de baixa pressão), associado à ocorrência de jatos de baixos níveis direcionados para as regiões norte e oeste catarinenses, que contribuíram com a formação de umidade e temporais com associação de tornados, granizo e vendaval. Em razão desta ocorrência a diretoria da Epagri decidiu pela realização de um levantamento das perdas ocorridas nos estabelecimentos agropecuários dos 22 municípios atingidos, que efetivamente registraram perdas econômicas e financeiras. O presente documento é o resultado deste trabalho, demonstrando as ocorrências nos 22 municípios, concentrados no Planalto Sul, Planalto Norte, Meio-Oeste e Litoral Norte Catarinense, abrangendo 1.119 estabelecimentos agropecuários, com perdas estimadas em R$50.249.133,40.  publicação na integra

Efeitos socioeconômicos causados pelo ciclone extratropical no estado de Santa Catarina em 2020

Nos dias 30 de junho e 1º de julho de 2020, um ciclone extratropical, denominado “ciclone bomba”, atingiu o sul do país. As fortes rajadas de ventos e tempestades atingiram praticamente todo o estado de Santa Catarina, causando danos à maioria dos municípios catarinenses. Dado que o meio rural foi fortemente afetado pelo fenômeno, a diretoria da Epagri decidiu pela realização de um levantamento das perdas ocorridas nos estabelecimentos agropecuários dos municípios atingidos, que foi coordenado pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Epagri/Cepa), com a participação de todas as Gerências Regionais e Escritórios Municipais dos municípios atingidos. O presente relatório é o principal resultado deste trabalho, que mostra que
foram atingidos 257 municípios, 87% dos 295 municípios catarinenses; 46.755 estabelecimentos agropecuários, 26% dos 183.066 estabelecimentos agropecuários do Estado, com perdas estimadas em mais de R$ 587 milhões. O objetivo deste levantamento é contribuir para e com as ações públicas de apoio aos municípios, agricultores, pescadores e maricultores atingidos pelo fenômeno. No âmbito do Governo do Estado, de maneira especial para e com as decisões da Secretaria de Estado da Agricultura da Pesca e do Desenvolvimento Rural e da Defesa Civil. publicação na integra

Efeitos socioeconômicos da estiagem e da pandemia do novo coronavírus sobre a produção agropecuária de Santa Catarina – 2020

A produção agropecuária catarinense vem sendo afetada nos últimos meses por uma condição de anormalidade hídrica, caracterizada por chuvas irregulares e mal distribuídas no território, de acordo com a Epagri/Ciram, afetando distintamente culturas agrícolas e a produção pecuária. Diante desta situação, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri, elaborou o presente relatório, que apresenta a situação socioeconômica das cadeias e setores agropecuários catarinenses, com base em levantamento realizado nos municípios do estado e no Sistema de Acompanhamento de Safras. O relatório tem como objetivos principais: apresentar os efeitos negativos e o grau de severidade do período de estiagem nas diversas cadeias e setores agropecuários de Santa Catarina; apresentar os efeitos e o grau de severidade provocados pelo período de vigência do isolamento social nas diversas cadeias e atividades agropecuárias de Santa Catarina. Visa, também, secundariamente, relatar os efeitos das medidas de mitigação do avanço da pandemia em Santa Catarina, sobre as cadeias produtivas e agropecuária, agroindústrias familiares, entre outro publicação na integra

Agronegócios familiares do Sul do Brasil Percepções do agricultor sobre o seu ambiente – 2017

Esta publicação apresenta, de forma objetiva e esclarecedora, informações referentes às percepções de agricultores que fazem a gestão de seus agronegócios familiares sobre um conjunto de variáveis de seus ambientes externo e interno, que influenciam a criação de estratégias e as suas práticas de gestão. Para esse fim, o estudo levou em conta 237 agronegócios familiares localizados nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, em que seus agricultores responderam ao questionário concebido para a pesquisa. A apresentação das percepções de agricultores sobre as variáveis externas se encontra agrupada em cinco dimensões: mudanças na sociedade; mudanças governamentais; mudanças econômicas; mudanças tecnológicas; e mudanças nos mercados. Além disso, permite ao leitor conhecer e se informar sobre as percepções dos agricultores nas variáveis internas que estão agrupadas em seis dimensões: marketing e comercialização; gestão da informação; gestão de pessoas; finanças e custos; gestão ambiental; e gestão da produção. publicação na integra

Indicadores técnicos e econômicos para a gestão de propriedades rurais produtoras de fumo em Santa Catarina – 2009

Este documento apresenta os indicadores de desempenho técnicoeconômico dos sistemas de produção de “fumo em estufa” e “fumo em galpão”, obtidos a partir do monitoramento com contabilidade técnica e gerencial de 70 propriedades localizadas na região de Braço do Norte, Imbuia, Canoinhas e São Miguel do Oeste, referentes ao ano agrícola 2007/2008. O processamento dos dados técnicos e econômicos foi realizado através do software Contagri, que é um sistema informatizado de contabilidade agrícola e análise comparativa desenvolvido pela Epagri. O trabalho faz parte de uma parceria estabelecida entre a Fetaesc, Souza Cruz e Epagri. Visa, primordialmente, oferecer indicadores que servirão para orientar o processo de gestão das propriedades monitoradas e de outras propriedades que apresentem condições de produção semelhantes a estas. publicação na integra

Introdução

Metodologia

Dados e atualização

Preços de produtos agropecuários

O levantamento dos preços recebidos pelos produtores é efetuado com frequência diária, semanal e mensal. Para cada frequência de levantamento existem listas de produtos específicos, que são agrupados em função de sua dinâmica de mercado. Semanalmente, também são realizados levantamento de preços no mercado atacadista (do valor com os produtos agrícolas são vendidos no atacado).

Após o levantamento dos preços junto aos informantes chaves, os dados sofrem um processo de crítica de consistência dos valores. Somente após essa análise são geradas as informações de preços, tendo como referência o preço mínimo, o preço mais comum e o preço máximo para cada produto monitorado. A divulgação é feita na mesma periodicidade dos levantamentos.

A crítica de consistência pelo qual passa os dados levantados é realizada desde a coleta até o término do levantamento. No primeiro momento, com base no conhecimento factual que o técnico tem quanto à realidade do mercado, é feita uma comparação horizontal dos preços dos produtos a fim de detectar discrepâncias.

No segundo momento, é realizada uma análise da evolução de valores anteriores e de indicadores e fatores econômicos correlacionados, que possam levar a uma depuração dos dados. Cabe ressaltar que todas as etapas levam em consideração o sigilo sobre os preços individualizados, pois os técnicos recebem informações de comerciantes concorrentes.

Insumos e serviços

O levantamento dos preços dos insumos e serviços é efetuado três vezes ao ano, nos meses de abril, julho e outubro, em uma amostra de informantes para as dez regiões agro de Santa Catarina. Após a coleta dos preços e da crítica de consistência dos valores, são calculados os preços médios estaduais para cada produto pesquisado.. A divulgação é feita no início do mês seguinte ao do levantamento.

Terras agrícolas

Os preços de terras agrícolas são levantados anualmente pela Epagri/Cepa. Os resultados são apresentados por município catarinense para sete classes de terra: Terra de Primeira, Segunda, Terceira (alta declividade), Várzea Sistematizada e Não Sistematizada, Campo Nativo e Terra para Servidão Florestal (Reserva Legal).

Os preços das terras são valores referenciais do município, por isso, estão sujeitos a grandes variações motivadas pela localização do imóvel, topografia e qualidade do solo, grau de aproveitamento agrícola, entre outros fatores. O objetivo do levantamento é conhecer a evolução dos preços das terras utilizadas na agricultura, de modo a permitir e subsidiar o gerenciamento de políticas agrícolas e dar suporte a estudos e projetos. Não está no escopo de metas informar preços de terras para balizar negócios com terras ou referenciar arbitragens.

É importante lembrar que o levantamento é de natureza declaratória, ou seja, o que o informante declara é, a princípio, a expressão da verdade. Por isso, os dados devem ser entendidos como um referencial de comercialização e não como um fato consumado. É possível que o verdadeiro valor seja, exclusivamente, do conhecimento das partes envolvidas (comprador e vendedor).

Forma de apresentação dos preços

Preço mais comum: valor mais frequente de um conjunto de preços relativos a um mesmo produto agrícola, insumo ou fator de produção, e referente a uma determinada época e local.
Preço máximo: maior dos valores dentre um conjunto de preços relativos a um mesmo produto agrícola, insumo ou fator de produção, e referente a uma determinada época e local.
Preço mínimo: menor dos valores de um conjunto de preços relativos a um mesmo produto agrícola, insumo ou fator de produção, e referente a uma determinada época e local.
Preço médio: valor médio obtido através da média aritmética simples a partir de um conjunto de preços relativos a um mesmo produto agrícola, insumo ou fator de produção, referente a uma determinada época e local.

Painel sobre o mercado agropecuário catarinense
Foto: Marcionize Bavaresco - Epagri/Cepa
Início da página
Skip to content